Fui ser feliz e não sei quando volto



A preparação do casamento requer tempo e a lua de mel também, mas o que fazer se os noivos não conseguirem sair de férias? De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho, todos os empregados têm direito a folgas depois de trocar alianças. A licença gala ou licença casamento estabelece que, em virtude do casamento, o trabalhador poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do salário, durante um período de três dias. “O benefício da lei é que o casal pode ter a lua de mel, mas ela será mais curta.”, explica Vânia Garcia especialista em casamentos e diretora da Chácara e Buffet Recanto dos Sonhos.

A duração

O prazo pode ser maior do que três dias, mas depende da convenção coletiva da categoria em que se trabalha. “O mais indicado é tirar a dúvida com o seu sindicato, para saber se você tem direito a mais dias”, aconselha Vânia Garcia.

E as férias oficiais?

Se o casamento for marcado para o meio das férias, o trabalhador não acumula os dias que a CLT proporciona, esses dias “extras” são anulados. Para acrescentar dias “extras”, o casamento deve acontecer antes do início do período oficial de férias.

O aviso

O casamento é uma questão pessoal, mas é preciso comunicar o seu chefe com antecedência. Na lei não tem um prazo definido, porém por respeito e compromisso à empresa o ideal é notificar o mais breve possível após a definição da data. E no retorno da folga, será necessário apresentar ao departamento de recursos humanos um comprovante legal do matrimônio.

Casos especiais

Se o noivo ou a noiva está se casamento pela segunda vez, ele ou ela pode usufruir novamente do direito a férias mesmo trabalhando na mesma empresa. Porém se os noivos já tiverem casado no civil, eles não terão direito à licença por se casar na igreja. No caso de não terem usufruído deste direito quando trocaram alianças de casamento pelo civil, não poderão, mais tarde, pedir estes dias.