Aniversário de 15 Anos: A importância dessa data

Aniversário de 15 Anos: A importância dessa data



Era uma vez uma menina que sonhava com um grande dia. Com vestido, maquiagem, cabelo e tudo o que tinha direito. A tão esperada noite do aniversário de 15 anos enfim havia chegado.

Embora a comemoração das debutantes, como a conhecemos, tenha raízes na Europa do século XVIII, a verdade é que em todos os cantos do planeta – tanto as meninas como os meninos – passam por ritos para se tornarem adultos perante a sua sociedade.

Para nós, latino-americanos, houve uma mistura de costumes para chegarmos às comemorações dos aniversários de 15 anos de nossas meninas.

A adolescência

Partindo do princípio biológico, depois da menarca, as meninas passam a ser consideradas mulheres. Afinal, agora elas podem deixar de serem filhas para serem mães. Parece exagero, mas o corpo feminino está mesmo pronto nesse sentido. Ainda que os hormônios estejam em ebulição e o estado emocional em constante oscilação.

Mas, ainda que os tempos sejam outros, e a expectativa de vida das pessoas não seja mais em torno de 40 anos, alguns costumes culturais são tão importantes que permanecem. O mito tem o seu poder na construção emocional e psicológica das pessoas, como explica o mitologista Joseph Campbell.

Acontece que os aniversários de 15 anos na América Latina misturam parte dos costumes trazidos pelos europeus por meio de suas intensas imigrações. Mas também há questões ameríndias, em que as meninas passavam por uma sequência de experiências para se verem prontas para constituir família.

De semelhante? Ambas afirmavam que a fase infantil havia passado e estavam prontas para o casamento.

Leia também: Espaço para festa de 15 Anos: Como escolher o ideal?

Europa do Século XVIII

Os contos de príncipes e princesas se passam na alta Idade Média, com muito luxo, magia e encantos. Especialmente na região da França, Áustria, Inglaterra e Alemanha, os países tidos como mais desenvolvidos intelectualmente naquele momento. Com ideais iluministas.

No entanto, é na França que o sonho se desenvolve. De onde origina o termo “debutante” cuja matriz vem da palavra francesa “debut” – início, começo. E como diz Renata Fratton Noronha, doutora em história pela PUCRS: “Você não pode descolar a moda da sociedade”.

Ainda que as ideias iluministas tenham inspirado a Revolução Francesa em 1789, ou seja, a tomada de poder dos burgueses sobre a monarquia, o ideal de vida era a opulência dos reis e rainhas e seus salões de bailes.

Embora na Europa os aniversários de 15 anos sejam agora no século XXI celebrados de forma diferente, essa cultura se mantém especialmente do México à Argentina. Possíveis explicações para seguir essa tradição europeia seriam a influência das famílias coloniais, sonhos de consumo estimulados pós 2ª Guerra e reforçar a necessidade de pertencimento, algo típico dos adolescentes.

Espaço para festa de 15 anos

Américas

Como os livros de história conhecem pouco, ou praticamente nada, sobre o ponto de vista dos povos nativos ameríndios, existem textos que retratam esse ritual de passagem com tons sombrios. Porém, é equivocado esse entendimento.

A expressão “menina-moça” vem dessas tradições, por exemplo. Também trazem muitos elementos simbólicos, naturais e de sabedoria ancestral durante os ritos que podem levar até meses:

- Concentração e cuidados só de mulheres para as futuras mulheres;

- Festa que envolve toda comunidade e familiares;

- Trocas das peças de vestuário;

- Banquete;

- Danças até o dia amanhecer;

- Apresentação da menina-moça para a sociedade.

Entre outros. Mas observe: quem diria que a baladinha teria vindo de ritos indígenas, não é mesmo?

As primeiras festas de debutantes no Brasil

Podemos entender, portanto, que os aniversários de 15 anos são manifestações culturais e refletem as tendências do seu momento na história. Não por acaso que essa moda chegou ao Brasil na década de 1940 e começou a ganhar mais e mais adeptas a partir da década seguinte.

Ainda que o país não estivesse em polpuda situação financeira, as famílias mais abastadas já começavam a contar com esse acontecimento no calendário social. Mesmo que as festas fossem compartilhadas por um grupo de amigas. Ou, melhor dizendo, um grupo de pais que queriam apresentar suas meninas à sociedade.

Dentro do contexto histórico social, era uma preocupação que as mulheres se casassem. Então o baile de debutantes era um desfile das meninas bem nascidas para serem cortejadas. Em muitos casos não era romance, eram negócios. Ainda que os filmes e historias de amor tentem dizer o contrário.

As “meninas-moças” só passaram a ser protagonistas da própria festa depois da década de 1970. A partir desse momento, há mais festas individuais do que coletivas. As garotas passam a ter voz ativa para escolher o próprio vestido, tema da festa e quem serão os convidados, coisas que antes cabiam exclusivamente aos pais. Ela não é mais cobrada a sair do evento com um futuro marido.

De ontem para hoje

É uma conquista recente os bailes de debutantes, onde:

- A menina não precisa escolher o príncipe;

- Ela é a estrela da festa;

- A artista principal do espetáculo.

Mesmo que os aniversários de 15 anos contêm com referências românticas, ainda assim é um registro do momento aqui e agora. Onde a menina-moça pode manter e alimentar sua fantasia, com a proteção da família, e ainda estar se preparando para uma vida madura em que ela mesma vai fazer suas escolhas. A protagonista da própria história.

Espaço para festa de 15 anos


Seja bem vindo ao Recanto dos Sonhos

Agora está na hora de marcar uma visita para conhecer o Recanto de perto!